Para as Mãos com (Bena)Amor

segunda-feira, julho 21, 2014


Certamente já viram estas embalagens “vintage” por ai, no minimercado da terrinha, na farmácia mais antiga da cidade, na drogaria do Sr.António onde ainda se encontram os produtos mais básicos como sabão azul, um mata moscas em forma de raquete e um creme de mãos que parece estar lá na montra há 50 anos no mínimo.

Pois bem, esse creme de mãos, de antigo só tem a embalagem e a fórmula,  porque ainda hoje é fabricado e bastante popular!  A principal característica dele? Primeiramente é Português, Made in Portugal, pelos laboratórios Nobre, a Fábrica Nally produz cosméticos desde os anos 20.

Localizada no Campo Grande, em Lisboa, é das mais conhecidas empresas de cosmética da memória portuguesa do século XX.

História de "Amôr"
Ora eu tenho uma história não muito romântica com o primeiro produto que experimentei da Nally, foi o conhecido produto estrela deles,  o creme de rosto Benâmor, um creme multifunções que embeleza, limpa, hidrata e ainda previne rugas.  Pois bem tudo isto soa muito bem, mas o que não me soou nada bem ao nariz foi o seu cheiro, sei que há muitas pessoas que adoram  o creme, e dizem ser muito bom e não se importam ou até gostam do cheiro, mas eu não consegui passar do teste do cheiro, para mim cheira a creme depilatório, aquele cheiro a coisas químicas pouco agradáveis, usei uma única vez e não suportei, sim  nem sou esquisita com cheiros mas não fui de todo à bola com aquele desculpem!

Entretanto depois desta experiência o modo pós-traumático-cosmético estava ligado, e a curiosidade em experimentar outros produtos da mesma marca caiu por terra.

Até que a Lusa Mater...
"A Lusa Mater é uma plataforma de divulgação e comercialização de produtos e designers portugueses, criada com o objetivo de valorizar os produtos portugueses. É um eixo que liga designers e compradores, sempre com uma grande dose de entusiasmo e um olhar atento sobre as últimas tendências e novos criadores"

Uma Loja Online de produtos exclusivamente Made in Portugal, com um conceito diferente e que aposta no Produto Nacional, (que sejamos sinceros, fabricamos dos melhores produtos do Mundo, entre louças, sapatos e outras categorias, somos distinguidos pela qualidade e perfeição) teve conhecimento do meu Blog, que por si só também aposta no que é Português, escrevendo em Português para a Portuguesa e automaticamente se relacionou com o mesmo e decidiu oferecer-me a oportunidade de testar um produto de beleza (já que é a minha praia) para eu falar dele para vocês.

Pois bem o produto de teste foi um outro icónico produto da Nally, o creme de mãos Alantoíne, será que só eu associo a algo tipo António em Francês? Mas não, não tem nada a ver com Antónios, mas sim provavelmente a inspiração foi francesa, visto que era a maior influência na moda e cosmética na  altura.

Mas o nome vem de um dos seus principais ingredientes

 Alantoína
A Alantoína é um composto químico derivado da Ureia, que é conhecida por ser uma substância natural e própria do organismo, que também existe na camada externa da pele humana e que contribui para a regulação do equilíbrio da água na pele, aumentando a humidade, diminuindo assim a perda de água da pele.

A Alantoína favorece a proliferação celular acelerando a regeneração da pele lesada,  ou submetida a grande desgaste, como é o caso das nossas mãos.

Por isso é normalmente utilizada em produtos de cuidado das mãos, peles de bebés, dos lábios, queimaduras solares e cicatrizantes.

(atenção, não sou especialista em químicas, isto foi informação baseada nas várias  pesquisas que fiz, por isso se alguém souber melhor ou em concreto mais informação por favor digam-me se estou a cometer alguma gafe, não quero induzir ninguém em erro)

Bem, agora o creme de mãos em si...

Embalagem
Vem numa caixinha de cartão, um tubo metálico selado, mesmo estilo pomada antiga, tem que se furar com a tampa para o “abrir”, tem 40ml de produto.

 Produto
Branco e leitoso, não é aquele creme gordo ou muito grosso, tem cheiro a limão, mas não é aquele “limão casa-de-banho” mas aquele limão das velas, mais conhecido por Limonella, que é no fundo um limoeiro de “jardim”.

Actuação
Como é bastante cremoso e leve, espalha muito bem e absorve rapidamente, sem deixar aquela sensação gordurosa ou peganhenta, deixa sim uma sensação, a pele super sedosa e elástica, por isso pode ser usado a qualquer altura do dia ou à noite para dormir.

Conclusão
Fiquei francamente surpreendida, não esperava nada gostar tanto deste creme como gostei, estou completamente fã, tenho usado todos os dias, para mim cremes de mãos são coisa que dificilmente me satisfazem, parecem todos “mais do mesmo” percebem? Cheiram bem e tal, são cremosos,  outros peganhentos e passado um pouco já não se sente nada, puff lá se foi o efeito, com este senti realmente diferença na textura das mãos,  ao passarmos o dedo um no outro sentimos ainda aquela “suavidade” que não é normal mesmo passado horas de o ter aplicado.






Se ainda não experimentaram, recomendo a 100%!

Mas não é tudo, uma sortuda leitora terá a oportunidade de testar este creme de mãos também, a Lusa Mater vai oferecer um a uma leitora do Coquette à Portuguesa com certeza!
Para isso só têm de preencher o formulário, o Sorteio começa hoje e termina dia 10 de Agosto, boa sorte! Entretanto se não aguentarem, comprem-no que não é assim tão caro e vale super a pena!

a Rafflecopter giveaway

Preços? Onde encontrar?
Entre 4 e 6€ dependendo do local
Online AQUI

Posts Relacionados

0 COMENTÁRIOS